Podendo aparecer em várias áreas da pele, mas principalmente nos lugares com maior pilosidade como o couro cabeludo e a região da barba masculina, a foliculite afeta seres humanos de todas as cidades. E mesmo em se tratando de uma doença de pele bastante comum, esta é uma inflamação ou infecção que pode demandar cuidados especiais.

Geralmente causada por fungo ou bactéria, a manifestação da foliculite é em forma de borbulhas vermelhas e também de pústulas, as conhecidas espinhas vermelhas com pus. Na maioria das ocorrências, a foliculite se configura em casos ligeiros e com evolução favorável.

Porém, não se deve desprezar o risco de alguma complicação um pouco mais grave para sua saúde. Mas não há motivo para pânico: que com o tratamento adequado, tudo pode ser resolvido.

iStock 1305584549 1024x683 - Foliculite: entenda o que é,  quais as causas e como tratar

Quais são os tipos de foliculite?

A foliculite é superficial quando envolve apenas a parte superior do folículo piloso. E profunda se envolve todo o folículo piloso. Veja os vários tipos de foliculite dentro destas duas classificações:

Foliculite estafilocócica

Causada pela bactéria estafilococos, a foliculite estafilocócica é o tipo mais comum da doença. Habitualmente na nossa pele como agente comensal, os estafilococos podem causar foliculite após barbear, depilação, oclusão ou alguns dos outros agentes causadores que veremos a seguir.

Foliculite por Pseudomonas

A foliculite por Pseudomonas é causada pela bactéria Pseudomonas aeruginosa, frequentemente encontrada em banheiras de hidromassagem, jacuzzis e piscinas com os níveis de cloro e pH desregulados.

Foliculite pitirospórica ou por Malassezia

Este tipo de foliculite é causada por diferentes espécies de Malassezia que é uma levedura (fungo) que vive habitualmente na nossa pele sem causar doença. Porém, às vezes, pode provocar foliculite. A Foliculite pitirospórica ou por Malassezia ocorre quando há hiperidrose, que o excesso de suor provoca aumentos de produção de sebo. Também pode aparecer nos casos de tratamento prolongado com antibióticos ou corticosteroides. Atinge, sobretudo, as costas, os ombros e o peito. Este tipo é observado geralmente em adolescentes e adultos jovens.

Sicose da barba

Como o nome já diz, a sicose da barba é uma infeção profunda e crônica dos folículos pilosos da área da barba. Neste caso, as lesões frequentemente surgem no lábio superior, e depois se espalham para o queixo e mandíbulas. Em casos mais graves, podem ter como consequência, cicatrizes na área infetada.

Furúnculos e carbúnculos

Furúnculos ocorrem quando a porção profunda dos folículos pilosos é infetada por bactérias (geralmente estafilocócicas), dando origem a lesões muito vermelhas, dolorosas, com pús e que crescem rapidamente. O termo carbúnculo significa um grupo ou aglomerado de furúnculos.

Foliculite gram-negativa

A foliculite gram-negativa surge, geralmente, após o uso prolongado de antibióticos orais para a acne ou para a rosácea. Estes tratamentos alteram o equilíbrio normal da pele, facilitando uma infeção por bactérias gram-negativas. Daí o nome.

Principais causas

Além dos fungos e bactérias, os vírus e outros parasitas podem causar a foliculite. Entre os principais agentes causadores estão as bactérias como estafilococos ou pseudomonas aeruginosas.

  • Uso de produtos como cremes e desodorantes que irritam a pele;
  • Excesso de peso;
  • Pelos encravados;
  • Oclusão de determinada região com roupa muito justa;
  • Fazer a barba;
  • Depilação com cera;
  • Aplicação tópica de cortisoides que são aqueles cremes que levam cortisona na sua composição;
  • O uso dos imunossupressores que diminuem as defesas do organismo e estão
  • presentes em alguns medicamentos para diabetes e outras doenças;
  • Banhos em piscinas públicas ou jacuzzis com níveis de cloro e de PH desregulados;
  • Suor excessivo;
  • Cortes e feridas.

Mas, afinal, quais os sintomas da foliculite?

A foliculite apresenta a inflamação de uma área localizada ou uma mais extensa como principal sintoma. Isso pode durar alguns dias na fase aguda ou persistir durante muito tempo na sua etapa crônica. Estes sintomas podem vir acompanhados de dor, coceira, sensação de queimadura e prurido.

Diante destes sinais, o diagnóstico deve ser realizado pelo médico especialista em pele que é o dermatologista. O exame é feito pela observação física e pela revisão da história clínica do paciente.

Em algumas situações, o médico pode pedir uma amostra das pústulas pra ser encaminhada a um laboratório onde será identificado o agente etiológico. Ou seja, um microrganismo que causou a inflamação.

Vale lembrar que é raro, mas pode ocorrer do médico pedir uma biópsia da região da pele afetada.

iStock 1404502155 1024x683 - Foliculite: entenda o que é,  quais as causas e como tratar

Como prevenir e tratar?

Como já dissemos, às vezes os casos são rápidos e leves e nem demandam um tratamento mais específico. Mesmo assim é recomendado que a pessoa adote os comportamentos a seguir, seja para prevenir ou tratar:

  • Limpar a área afetada com sabão antibacteriano e água fria;
  • Sempre usar produtos suaves para a limpeza da pele;
  • Depois das atividades físicas, tomar banho rapidamente;
  • Manter sempre a pele limpa e seca;
  • Evitar roupas apertadas;
  • Não ter contato com tecidos ou substâncias que irritam a pele;
  • Todo esforço é bem-vindo na hora de evitar cortes durante o ato de barbear;
  • Nessa hora, usar o gel ou espuma adequada para lubrificar as lâminas do aparelho de barbear;
  • Lembrar no ato de barbear que as zonas com foliculite não devem ser barbeadas;
  • A depilação a laser ajuda a evitar a foliculite;
  • Uma vez com as lesões na pele; não coce. Isso pode agravar o seu quadro;
  • Não use tratamentos sem indicação médica, simpatias ou remédios caseiros.

O melhor tratamento é o prescrito pelo médico dermatologista que é o profissional que pode averiguar a gravidade do problema. A prescrição varia bastante de pessoa para pessoa, mas podemos dizer que passa pelo uso de antibióticos tópicos em forma de creme, gel ou oral.

O tratamento pode ainda acrescentar antifúngicos, antiparasitários e o uso de corticoides tópicos ou orais. Em algumas ocasiões, o médico recomenda pequenos procedimentos cirúrgicos que consistem na incisão e drenagem de furúnculos e carbúnculos.

Entenda, agora, as principais causas e como tratar a queda de cabelo!