O mercado vem aceitando cada vez mais o Ensino a Distância. Não somente as instituições escolares vêm apostando neste formato. Por parte dos estudantes, a procura é grande porque mudou o comportamento de quem quer aprender e se desenvolver. Dados do Censo da Educação Superior de 2018 dão uma noção clara de quanto isso é verdadeiro.

Ensino a distância

Hoje em dia, muita gente está aproveitando para se formar, fazer um curso técnico, uma pós-graduação e até mesmo um mestrado por meio do Ensino a Distância. Ou simplesmente mais um curso para alavancar a carreira profissional.

De acordo com o Censo, o Ministério da Educação (MEC) divulgou que, somente no ano passado, foram 7,1 milhões de vagas para o Ensino a Distância. Levando em conta o ano anterior, houve um aumento de 50%.

Já para o ensino presencial, foram 6,3 milhões de vagas disponíveis, ou seja, uma oferta maior de EaD para cursos de graduação do que para o modelo até então mais tradicional. Ensino a Distância significa estudar sem sair de casa, economizando tempo e dinheiro com locomoção, por exemplo. Mas será que, mesmo com esta flexibilidade, vale mesmo a pena?

Ensino a distância é uma tendência que veio para ficar

Para ajudar você a entender e a avaliar até que ponto se aperfeiçoar por meio do EaD, voltemos um pouco ao passado. Desde que surgiu como opção, muitos educadores viram no Ensino a Distância uma oportunidade de inclusão para alunos que não dispunham de educação nos seus próprios bairros ou cidades. 

Enquanto isso, outros defensores do EaD viram nesse modelo de educação uma boa alternativa para períodos de crise econômica já que seus custos, na média, são mais baixos que nos cursos presenciais. Por outro lado, os estabelecimentos particulares de ensino superior encontraram seu equilíbrio econômico.

No contexto atual, muitos estão entendendo que provavelmente a fórmula ideal seja manter cursos híbridos: parte das aulas ministradas a distância e outra parte presencial. Será? Não há unanimidade de opiniões quanto a este tema.

Ensino a distância

Afinal, quais as vantagens do EaD?

Podemos listar muitas vantagens do ensino a distância. Confira as principais.

  • Matrículas e mensalidades tendem a ser inferiores ao ensino presencial, como já dissemos.
  • Quem opta por este modelo consegue conciliar estudo e trabalho com mais facilidade.
  • Os cursos podem ser feitos sem sair de casa ou em qualquer outro lugar que tenha acesso à Internet.
  • O estudante não precisa estar fisicamente próximo da instituição de ensino escolhida.
  • As aulas podem ser acompanhadas nos dias e horários que forem mais adequados para o aluno.
  • O conhecimento é transmitido por videoaulas, plataformas interativas, fóruns e e- emails.

Veja agora as desvantagens apontadas por especialistas e alunos

Apesar das vantagens, os cursos de Ensino a Distância enfrentam a problemática da evasão. Você sabia que somente no ano passado, 36,5% dos alunos que começaram a estudar nesta modalidade desistiram no meio do caminho?

Há alguns motivos para isso. Entre eles, a falta de disciplina individual para permanecer, dificuldade de adaptação a um modelo que demanda muita organização e resistência relacionada ao descrédito manifestado por alguns empregadores.

  • Educação a Distância exige uma rotina de aulas, estudos e tarefas que se negligenciada pode comprometer definitivamente a conclusão do curso.
  • O aluno faz sua própria grade de disciplinas versus horários de realização. Porém, com o passar do tempo, se não muito motivado, estudantes tendem a adiar compromissos que assumiu com si próprio.
  • ambiente de estudo deve ser calmo, com o mínimo de interrupções possível. O que nem sempre é tão fácil de se conseguir.
  • Mercantilização do mercado. Muitas escolas, faculdades e demais instituições apostam no Ensino a Distância para sobreviver no mercado. Mas o lucro real só é possível em grande escala. Para desatar este nó, acabam oferecendo cursos com qualidade duvidosa.
  • Não há contato olho no olho com os professores e fica difícil trocar experiências com colegas e fazer networking.   

ensino a distância

Aceitação no mercado

Ainda existe bastante preconceito no mercado brasileiro em relação ao EaD. Muitos contratantes e empregadores torcem o nariz e questionam este tipo de formação.

Os cursos de graduação a distância obtiveram notas piores do que os presenciais no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2017. Por exemplo, somente 2,4% dos cursos a distância conquistaram a melhor nota: 5. Em contrapartida, 6,1% dos presenciais atingiram esta pontuação.

No entanto, nos EUA e na Europa, o EaD é reconhecido como eficaz e amplamente utilizado por grandes e importantes empresas.

Decidiu fazer um curso virtualmente?

Antes de escolher um deles, pesquise quais as modalidades de ensino a distância. Existem cursos on-line, aplicativos conceituados e cursos estilo Netflix. Nestes últimos, você paga uma mensalidade fixa e pode ir escolhendo as disciplinas que quer ter acesso.

Outro aspecto importante são os tipos de certificação que você poderá obter após a conclusão do seu EaD. São pelo menso 3 tipos pra ficar de olho:

1. Certificado com validade no MEC (Ministério da Educação). Este é essencial para os cursos de graduação e pós-graduação.

2. Certificado mais simples usado mais para provar o que você cursou, carga horária e data. 

3. Certificação que você obtém após parte teórica e realização de uma prova on-line. Esta é bastante utilizada, por exemplo, por profissionais de TI. Geralmente, é uma certificação mais cara, porém bem reconhecida no mercado nas competências específicas. 

O futuro é hoje. Mas, anote o que provavelmente vem por aí

ensino a distância

E agora? O que deve fazer quem pretende fazer um curso de aperfeiçoamento para se formar ou empreender pra dar uma guinada na carreira profissional?

Com a crise econômica e política que vive o Brasil e a polarização que vemos em todos os campos do conhecimento, difícil prever o que esperar no setor de educação.

Se você leu este artigo até aqui, muito provavelmente está pensando em estudar mais. E prefere o Ensino a Distância por falta de tempo livre para voltar aos bancos escolares mais tradicionais em salas de aula físicas com professores lá na frente despejando o que sabem.

Não desista. Não espere o mercado acalmar. E não fique parado. Comece agora a se aprofundar nas informações obtidas até aqui e faça seu curso.

Quanto à realidade da educação brasileira, a questão é mais delicada. A Educação a Distância deve seguir em expansão nos próximos anos. Para a Associação Brasileira de Mantenedores de Ensino Superior, em 2023, outro marco virá: a quantidade de alunos estudando na modalidade não presencial vai superar o número de alunos em ensino presencial.

Diversas instituições educacionais estão agilizando a reformulação de suas metodologias, investindo bastante na qualidade dos cursos EaD. Isto deve aumentar a credibilidade do mercado. É esperar pra ver!

O que achou do artigo? Fez algum curso EaD? Como foi a sua experiência? Conte para a gente nos comentários.