Um dos aspectos mais discutidos, atualmente, no mercado de trabalho é a atuação dos chefes tóxicos. Para os colaboradores que precisam conviver com esse tipo de liderança, seus chefes são uma fonte de estresse e não de inspiração.

No ambiente corporativo é comum ser obrigado a conviver com líderes ruins e nem sempre é possível evitá-los ou fugir da sua influência negativa.

No entanto, existem algumas estratégias eficientes para lidar com eles, minimizando os danos na sua saúde e na sua carreira. É o que vamos mostrar para você neste artigo. Acompanhe!

O que são chefes tóxicos

como reagir a um chefe toxico - Chefes tóxicos: quem são, como identificar e se proteger

Chefes tóxicos são aquelas pessoas que contaminam toda equipe e o ambiente com seus comportamentos. Eles não conhecem o limite que separa a pressão por resultados da falta de respeito pelos colaboradores. Falta a capacidade básica de liderar e inspirar as pessoas.

Na verdade, ele usa o cargo e sua autoridade para desrespeitar quem trabalha na equipe, seja pelo tom de voz, pelo discurso, pelo autoritarismo, pelo excesso de centralização, entre outras coisas. A sua especialidade é dar ordens, sem se preocupar com o coletivo.

Um chefe assim não é modelo para ninguém. Ele não atrai nem retém os melhores talentos na equipe porque simplesmente sufoca e anula o que seus funcionários têm de melhor. Se você convive com um chefe assim, cuidado!

Ele será uma fonte permanente de estresse e a medicina já comprovou que o seu acúmulo ocasiona muitas doenças físicas, afetando, inclusive, o seu equilíbrio emocional. O pior é que sua carreira também pode pagar um alto preço por conta dessa relação ruim.

Chefes tóxicos, frequentemente, comprometem o desenvolvimento profissional e as possibilidades de ascensão do funcionário dentro da empresa, já que as pessoas acabam desperdiçando muito tempo e energia no gerenciamento dos conflitos interpessoais. O que fazer então? No próximo tópico mostraremos as melhores maneiras de lidar com chefes tóxicos no dia a dia.

7 dicas práticas para lidar com chefes tóxicos no dia a dia

chefes tóxicos

Existem várias estratégias que você pode usar para não se deixar contaminar com as atitudes e comportamentos do seu chefe. Confira:

Dica 1. Não discuta com ele

Quando seu chefe estiver alterado, quase tendo um ataque nervoso, o melhor caminho é não dizer nada, porque ele não vai ouvir. Naquele momento, ele está fora de controle e é melhor aguardar uma oportunidade mais adequada para abordá-lo e conversar com calma.

Por mais certo que você esteja, evite ao máximo ter uma reação passional, pois, seu chefe pode usar isso contra você, invertendo a situação e colocando você como o agressor desequilibrado. Nesses momentos, é preciso ter sangue-frio e manter a calma para não permitir que seu chefe tenha poder psicológico e emocional sobre você.

Dica 2. Respire fundo e não se anule

Diante de uma situação em que você é vítima de uma atitude desrespeitosa por parte do seu chefe como um xingamento, por exemplo, a melhor opção é não reagir imediatamente. A raiva e a tristeza do momento podem prejudicar o seu raciocínio.

Respire fundo, conte até 10 e procure conversar com ele em outra hora. No entanto, perceba que isso não significa se anular. É muito importante que os chefes tóxicos percebam que as pessoas não permitem serem manipuladas por seus jogos mentais ou pelo assédio moral.

Demonstre que você tem o controle de suas emoções e responda a qualquer provocação ou agressão de modo inteligente e profissional.

Dica 3. Filtre o que ele diz

Quando seu chefe fizer uma crítica destrutiva ao seu trabalho, procure saber se existem evidências que comprovem que a sua entrega realmente estava ruim. Se for o caso, é importante ter humildade para reconhecer isso e procurar saber como melhorar.

Você pode, por exemplo, dizer que está com dificuldades e que gostaria da ajuda dele para melhorar seu trabalho.

Em outras palavras, filtre o que for dito para saber se existe alguma verdade no feedback recebido. Se você concluir que não, evite se desgastar ainda mais. Mantenha a serenidade e desconsidere o aspecto destrutivo da crítica, sem confrontar seu chefe diretamente. Assim, você mostrará que não se ofende facilmente e que está sempre disposto a aperfeiçoar sua entrega.

Dica 4. Acredite em você

Chefes tóxicos são destruidores da autoestima do profissional. Essa é uma das suas características mais marcantes e prejudiciais.

Eles fazem o possível para você acreditar que não é bom o bastante para aquele cargo ou para tocar determinado projeto. Esses falsos líderes vão minando, aos poucos, a autoconfiança de seus subordinados, quando deveriam estar fazendo exatamente o contrário.

Não permita que o seu chefe faça isso com você. Lembre-se das suas qualidades e das conquistas que obteve durante sua trajetória profissional.

Se ele tem o hábito de dar apenas feedbacks desestruturados e fazer críticas vazias sem nunca apontar seus pontos positivos ou ferramentas de melhorias, rebata. Diga que você está disposto a melhorar, mas que os feedbacks devem ser feitos de modo profissional e construtivo.

5 – Use fatos para defender suas ideias

Chefes tóxicos costumam ser autoritários, odeiam ser contrariados ou corrigidos. Portanto, quando você for defender alguma ideia contrária às dele, leve evidências baseadas em dados e fatos.

Fale que realizou algumas pesquisas e que encontrou informações que podem enriquecer o processo de tomada de decisão.

Assim, você consegue apresentar as divergências como complementos, evitando que ele entre em uma batalha de argumentos. E ele continua sentindo que está no controle.

Dica 6. Denuncie, se for necessário

As empresas devem possuir os canais oficiais para denunciar comportamentos abusivos dos chefes tóxicos. Não tenha medo de usá-los se entender que sua saúde, carreira ou emprego estão sendo ameaçados. Mas, procure ter provas concretas, sem exagerar os comportamentos denunciados.

Relate-os com riqueza de detalhes e sendo fiel aos fatos. Se possível, junte o depoimento de uma ou duas testemunhas para validar seus argumentos. Se a empresa não disponibilizar os canais para denúncias, procure diretamente o RH ou a área responsável pela gestão de pessoas.

7 – Se nada der certo, vá embora

Você não é obrigado a conviver com chefes tóxicos. Se o seu gestor pratica assédio moral e faz com que você se sinta triste e angustiado, tornando o trabalho uma tortura diária, busque outro emprego.

Mesmo que a empresa seja ótima, se nada está sendo feito para impedir ou resolver as atitudes do seu chefe tóxico, é porque o comportamento desse profissional está sendo aceito e endossado pela organização. Sua saúde física e emocional não tem preço. Existem outras empresas muito melhores para você trabalhar, se sentindo realizado e feliz.

Concluindo, se você está sendo obrigado a conviver com um chefe ruim, coloque em prática as estratégias apresentadas aqui. Elas foram pensadas para criar uma convivência mais tranquila e preservar seu equilíbrio emocional, sua saúde e seu emprego. 

Se você já passou por uma situação como as descritas no artigo, que tal compartilhar conosco aqui nos comentários? Vamos adorar saber como você conseguiu resolver!