Se fosse para descrever o slow food em poucas palavras, poderíamos dizer que seu princípio básico é o direito ao prazer da alimentação. Usando produtos artesanais de alta qualidade e produzidos com respeito, tanto o meio ambiente, quanto às pessoas responsáveis por sua produção.

Mas o movimento vai muito além disso. Ele preconiza que a maneira pela qual nos alimentamos tem profunda influência em tudo que nos rodeia. Desde a paisagem, passando pela biodiversidade da terra que precisa ser preservada até suas tradições.

O planeta agradece. Sua saúde também!

Partindo da premissa de que comer é fundamental pra viver, o slow food reforça a estreita e forte relação existente entre um prato de comida e o planeta. O objetivo é melhorar a qualidade da alimentação e fazer com que mais e mais pessoas encontrem tempo para saborear os alimentos.

São atitudes simples, mas capazes de tornar o cotidiano muito mais prazeroso. Uma frase atribuída ao criador do slow food, Carlo Petrini, traduz bem outro aspecto fundamental relacionado ao modo de viver dos seguidores do movimento. “É inútil forçar os ritmos da vida. A arte de viver consiste em aprender a dar o devido tempo às coisas.”  

O dia a dia atribulado dos grandes centros urbanos se espalhou rapidamente por todas as regiões. A rotina repleta de compromissos e obrigações têm praticamente obrigado homens e mulheres de todas as idades a fazerem suas refeições de forma atribulada e atropelada. 

Ninguém mais tem — ou acredita não ter — tempo para comer tranquilamente, apreciando verdadeiramente os alimentos e o momento presente. É neste cenário que surgiu o slow food com o intuito de reverter essa realidade, trazendo vantagens para a saúde e melhorando a qualidade de vida.  

cozinhacomidaalimentacaogastronomia77057LPSVDS42 - O que é slow food e suas vantagens

Como funciona e principais objetivos

Para entender a expressão em inglês, basta considerar que a palavra “slow” significa devagar e “food” quer dizer comida. Tudo começou por iniciativa de Carlo Petrini, em 1986. Logo depois, em 1989, o movimento se tornou uma associação internacional sem fins lucrativos. Hoje em dia, reúne cerca de 100 mil membros. 

Itália, Alemanha, Suíça, Estados Unidos, França, Japão e Reino Unido têm escritórios e outros 150 países são apoiadores. Já a sede internacional do movimento fica localizada em Bra, na Itália.

Há operações locais e mundiais desenvolvidas em parceria com instituições internacionais. Entre elas, a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação, conhecida como FAO.

A principal característica do slow food é se opor à padronização da alimentação no mundo. Vale destacar que os conhecimentos gastronômicos reunidos até hoje estão relacionados com iniciativas políticas, com as decisões mundiais relacionadas à saúde, agricultura, ao ambiente e à ecologia em geral. Sendo que os principais objetivos do movimento são:

  • Defender a biodiversidade na cadeia de distribuição alimentar;

  • Difundir a educação do gosto;

  • Aproximar os produtores de consumidores de alimentos especiais por meio de eventos e iniciativas.

fastfood - O que é slow food e suas vantagens

Um contraponto aos prejuízos do fast food

E por que comer devagar, conscientemente e aliando prazer á qualidade? O movimento slow food surgiu como um contraponto ao fast food.

Neste padrão seguindo por boa parte da população mundial, as pessoas escolhem rápido, pagam voando e devoram os alimentos, muitas vezes, sem saber o que estão comendo. Não se tenta saborear cada pedaço do alimento. Não se tira proveito algum do sentar-se a mesa e consumir alimentos. 

Já no slow food, como vimos, há todo um cuidado relacionado à velocidade com que comemos uma refeição. E não se trata de uma tendência vegetariana ou vegana, como alguns pensam. São conceitos diferentes. 

Quem se aprofunda e toma a decisão de aderir à prática do slow food muda completamente sua relação com a comida. Em primeira instância, o alimento deve ser bom, limpo e justo.

Precisa ter sabor e ser cultivado sem prejudicar a saúde de ninguém e protegendo o meio ambiente. E o produtor é remunerado de forma justa e de acordo com o esforço dedicado e com a qualidade do seu trabalho.

cozinhando - O que é slow food e suas vantagens

Benefícios do slow food

  • Quem se alimenta seguindo os preceitos do slow food privilegia os pequenos agricultores, gerando uma merecida renda a eles. 
  • Ao preparar alimentos frescos, você se prepara, ainda, para comer sentindo todo o prazer diretamente ligado ao paladar, olfato e visão. Você se alimenta com calma garantindo uma melhor digestão e facilitando o seu processo metabólico.
  • Algumas pessoas relatam ter perdido alguns quilos sobressalentes ao aderir ao slow food. O emagrecimento ocorre sem prejudicar sua saúde e de forma sustentável.
  • Você escolhe melhor o que come, respeita o tamanho da sua fome e fica mais atento à sensação de saciedade. Sabendo, assim, a hora de parar de se alimentar.
  • Ao reduzir o ritmo da sua vida na hora de se alimentar, você ganha mais equilíbrio emocional por meio de hábitos alimentares mais conscientes. Trata-se de um passo fundamental rumo à conquista de uma condição de vida mais saudável e cheia de bem-estar!

Frutaselegumes - O que é slow food e suas vantagens

Como praticar e incorporar o slow food no dia a dia?

Vá devagar. Não precisa substituir sua forma de se alimentar de uma hora para outra. Faça isso gradativamente e de forma sustentável. Uma recomendação é fazer uma horta no jardim de sua residência. Acompanhe o desenvolvimento das plantas e seja grato ao poder da natureza.

Se você mora em apartamento, experimente plantar ervas, temperos, frutas e legumes. Use vasinhos que podem se encaixar num cantinho da varanda, por exemplo. Siga o crescimento das suas plantinhas.

Quando for fazer compras no supermercado, quitanda ou feira livre, preste atenção no que está escolhendo como alimentos. Descubra como e aonde foram produzidos.

Se cozinhar sua própria comida, melhor ainda. Transforme esta atividade na hora mais feliz do seu dia. Aproveite a boa sensação levando-a para a hora das refeições. 

Idealize pequenos rituais para estes momentos. E aprecie cada gesto, da colocação da mesa à apresentação dos pratos.

Mantenha uma conversa afetuosa com sua família.

Como é? Se animou para experimentar o slow food e melhorar a sua vida? Então, deixe um comentário!