Fake news nas eleições são um verdadeiro flagelo que se espalha com a velocidade da luz graças às redes sociais. Neste artigo, vamos explicar como as chamadas notícias falsas são levadas a cabo e transitam livremente nas plataformas de mídias sociais, pulverizando informações de conteúdo falso.

O advento das fake news nas eleições

É possível evitar espalhar fake news nas eleições, desinformações e alegações duvidosas. As fake news nas eleições visam minar a participação eleitoral saudável, a confiança no sistema eleitoral e, como consequência, influenciar os resultados eleitorais.

Na verdade, as campanhas já começaram muito antes em razão da pandemia do novo coronavírus, com as mídias digitais sendo principal vitrine e, por consequência, maior influência sobre a decisão. Há alguns poucos anos, as fake news foram ferramentas produzidas com o intuito de abalar a política no sentido de impor suas “verdades”. A forma como são hoje repassadas, disseminadas sem cuidado pelos smartphones reflete o momento crucial tecnológico que vivemos.

Este fenômeno das fake news nas eleições não são exclusividade do Brasil. Esse problema é observado em outros países, como nos Estados Unidos, onde campanhas eleitorais foram alvo grandes esquemas publicitários envolvendo as fake news.

Estamos em 2020, faltando menos de uma semana das municipais, os riscos das fake news nas eleições são enormes para a democracia e para a própria internet. A web está se tornando cada vez mais um veículo em que se semeiam confusões. Mas como fazer isso? Aqui, logo abaixo damos algumas dicas de como combater as fake news nas eleições! 

fakenewsnaseleicoes - Combate às fake news nas eleições

Verifique a fonte

Cuidado com sites com nomes estranhos ou domínios diferentes, que terminem, por exemplo, em “.com.co”, que são frequentemente versões falsas de fontes de notícias reais. Verifique a seção “Sobre nós” no site. Veja as histórias que não estão sendo relatadas em outro lugar, como algum fato chocante, ultrajante ou surpreendente, sempre terá outra origem. Se não, suspeite. 

Desconfie se não houver atribuição de um autor ou outra assinatura. Verifique a data, pois um truque favorito de quem espalha fake news nas eleições é reformular histórias antigas. 

fakenewsnaseleicoes1 - Combate às fake news nas eleições

Desconfie de títulos bombásticos

Infelizmente, a maioria das pessoas não lê além do título nos artigos que compartilham. Os manipuladores usam isso a seu favor, criando manchetes “clickbait” que distorcem a verdade de uma história. Portanto, sempre costume ler toda a história, antes de gostar ou compartilhar com alguém.

Evite compartilhar “correntes”

Se houver alguma intenção pedindo que você tome alguma medida, como enviar dinheiro, ingressar em um partido, compartilhar relatórios e estatísticas, ou simplesmente “clicar neste link”, seja muito cauteloso. Artigos que promovem algo geralmente não são verdadeiramente imparciais. Isso ocorre geralmente por redes como o WhatsApp.

Mesmo o WhatsApp ter criado alertas aos usuários com um recurso para evitar o compartilhamento de fake news e correntes, seja na forma de textos, vídeos e imagens, fica difícil o seu controle. Quem manda as correntes receberão um alerta de que foi encaminhado para um número limitado de vezes: “Essa mensagem será marcada como encaminhada muitas vezes”. 

 Cuidado com perfis robôs

Os perfis robôs massificam postagens que se convertem em ferramentas para a desinformação e manipulação de dados em redes sociais, geralmente em fake news nas eleições. Esses robôs (social bots) são contas artificiais mantidas por programas e agem na interferência de discussões políticas, com o fim de alterar o rumo do resultado eleitoral, com notícias falsas e teorias conspiratórias.

Em geral, se propagam de forma muito rápida e fácil pelo Twitter, por ter um padrão de poucos caracteres, onde é possível marcar pessoas como se fossem seguidoras. Existem formas de prevenir a ação detectando os spams e os bots, além de bloquear certos trending topics.

fakenews - Combate às fake news nas eleições

Fotos e Vídeos

Fotos e vídeos alterados ou completamente falsos são comuns no reino da desinformação da política. Use “buscas de imagens” se suspeitar de uma foto falsa que pode ter sido montada em programas, manipuladas e sem contexto.

Evite compartilhar notícias de sites polarizados

A intolerância e as notícias falsas de uns tempos para cá tornaram “naturais” o discurso de ódio na internet. Nos últimos anos, cresceram as denúncias contra crimes de ódio, principalmente relacionados à polarização política, onde trazem consigo, elementos de racismo, intolerância religiosa, homofobia e xenofobia.

Utilize ferramentas para verificar as fake news

Já é um começo que empresas e fóruns dedicados a denunciar as fake news estejam cada vez mais ativas, mas para que realmente se evite reproduzir notícias e informações enganosas, todos nós devemos assumir parte da responsabilidade.

Projetos e ações contra a Fake News

Já é um começo que empresas e fóruns dedicados a denunciar as fake news estejam cada vez mais ativas, mas para que realmente se evite reproduzir notícias e informações enganosas, todos nós devemos assumir parte da responsabilidade. Com este apoio, a Polícia Federal já desenvolve projetos para combater as fake news nas eleições durante todo o processo.

Ainda assim, no Congresso Nacional, também tramitam alguns projetos de lei que visam penalizar multas com reclusão para quem divulgar ou criar fake news. Só este ano, a própria Justiça Eleitoral também encaminhou processos de combate às desinformações nas redes sociais, principalmente na busca de impulsionamento realizado por robôs, que acabam fazendo os disparos em massa.

Tais práticas terminam por prejudicar a saúde política e comprometem a qualidade da democracia, que diferente de promover livres debates, ideias e clareza, estão condicionadas às agressões, ofensas e discursos de ódio. 

Hoje, grande parte da população que faz uso livre da internet diariamente através de dispositivos, se tornam, ao mesmo tempo, receptores (vítimas) e reprodutores nos envios de mensagens. Portanto, impulsionar e reproduzir fake news nas eleições é também crime.

Existem ferramentas legais hoje como a campanha lançada pelo TSE #EuVotoSemFake (que já tem a Coordenaria Digital de Combate à Desinformação), no combate às fake news nas eleições de 2020. Existem outras ferramentas que visam conscientizar as pessoas sobre o seu papel no momento de divulgar informações durante o processo eleitoral, como a Cyberh Eleições, por exemplo.

Se você receber e identificar fake news, não perca tempo e denuncie.

Se este artigo foi importante para você, compartilhe entre seus contatos. Aproveite estas campanhas de combate às fake news, curtindo e comentando, incentivando outros leitores a se prevenir!