Não há como negar: entre tantas bebidas disponíveis no mundo, certamente, o vinho é a mais famosa delas. Considerada uma das mais antigas, essa opção é extremamente saborosa e, inclusive, consegue agradar os mais diversos paladares — desde os mais sutis, até aqueles refinados e que buscam por um toque “marcante”.

Mas, ao entrar para esse universo, é possível que os “marinheiros de primeira viagem” se deparem com uma série de dúvidas. Afinal, como escolher um bom vinho? Ou então, como degustá-lo e harmonizá-lo corretamente com diferentes alimentos?

Pensando em aproveitar esse clima frio e intimista, o time da Seculus resolveu marcar um bate-papo exclusivo, com um enólogo conceituado e co-fundador da Confraria dos Enólatras, Francisco Berger. Para saber mais, continue conosco neste post e confira o que rolou de melhor na última #Live!

Comece pelas principais uvas

Para iniciar a sua trajetória no mundo dos vinhos, é interessante saber a respeito das uvas. Até porque, tal bebida é produzida a partir da fermentação do sumo desta fruta. E um fato curioso, é que cada país possui as suas uvas principais.

Costumamos chamá-las de castas, que tendem a se desenvolver melhor de acordo com o clima de cada localidade, criando assim, características exclusivas e que podem ser notadas no aroma, gosto e, inclusive, na tonalidade da bebida. Abaixo, contamos quais são as mais conhecidas delas.

  • Alemanha: Riesling;
  • Argentina: Malbec;
  • Brasil: Cabernet Sauvignon, Tannat e Syrah;
  • Chile: Sauvignon Blanc, Carménère, Cabernet Sauvignon;
  • Espanha: Tempranillo;
  • Estados Unidos: Zinfandel;
  • França: Pinot Noir, Merlot, Chardonnay e Cabernet Franc;
  • Itália: Barbera, Sangiovese e Corvina Veronese;
  • Nova Zelândia: Sauvignon Blanc e Pinot Noir;
  • Portugal: Baga, Touriga Nacional e Alfrocheiro;
  • Sul da África: Pinotage.

Uvas brancas e tintas

Ainda dentro deste tópico, podemos classificar as uvas entre brancas e tintas. Esse fator permitirá conhecer melhor as características da bebida, como ela foi produzida, as suas particularidades e variedades. Veja!

Uvas brancas

  • Chardonnay;
  • Chenin Blanc;
  • Moscatel;
  • Sauvignon Blanc;
  • Riesling;
  • Verdejo.

Uvas tintas

  • Cabernet Sauvignon;
  • Malbec;
  • Merlot;
  • Syrah;
  • Pinot Noir;
  • Tannat;
  • Tempranillo.

livevinhos3 - #LiveSeculus: o que você precisa saber sobre vinhos

Fique de olho na temperatura

Outro ponto constantemente esquecido por quem acabou de chegar no segmento da enologia, diz respeito a temperatura dos vinhos. Você pode não imaginar, mas esse detalhe consegue influenciar significativamente na percepção que os indivíduos podem ter na hora de degustar esse tipo de bebida.

Por exemplo: quando o produto é servido quente demais, o álcool fica em evidência, passando a ser o destaque e apagando outros elementos presentes na composição. Consequentemente, a experiência deixa de ser tão saborosa e prazerosa quanto deveria.

O mesmo vale para a situação contrária. Ao ser servido muito frio, o vinho pode perder o seu gosto, bem como o aroma. O resultado? Uma degustação completamente insossa ou, em cenários mais intenso, até desanimadora.

Isso significa, que o melhor caminho é sempre manter a sua temperatura estável, conseguindo assim, aproveitar tudo o que o vinho pode lhe oferecer de melhor.

livevinhos2 - #LiveSeculus: o que você precisa saber sobre vinhos

Descubra como harmonizar os vinhos

Um dos grandes méritos de um expert em vinhos, é saber como harmonizar perfeitamente essa bebida com diferentes pratos. Aqui, é importante ter em mente que cada tipo de uva existente irá combinar com receitas específicas.

Entretanto, de um modo geral, podemos dizer que há a possibilidade de harmonizar as bebidas de acordo com certas classificações. Te ensinamos como.

  • Vinho tinto: combina muito bem com carnes vermelhas, queijos mais duros e massas que tenham molhos encorpados;
  • Vinho branco ou rosé: pode ser servido com peixe, frango, frutos-do-mar, saladas, queijos suaves. A combinação de massas com molho branco, ao pesto ou caprese também é uma ótima pedida;
  • Vinho licoroso: orna perfeitamente com sobremesas e queijos do tipo “azul”.
  • Espumantes: muito consumidos em comemorações diversas. Normalmente, são servidos ao lado de petiscos, sobremesas, saladas e frutas.

livevinhos4 - #LiveSeculus: o que você precisa saber sobre vinhos

Deguste da maneira correta

Para conseguir apreciar ao máximo o vinho escolhido, você precisará investir em alguns cuidados — e que vão muito além do que, simplesmente, colocar a bebida na taça e bebê-la. Em outras palavras, uma degustação completa deve se basear nos seguintes passos:

Passo #1

Sempre escolha o seu vinho com base na experiência. A recomendação, é fazer essa seleção já pensando no prato que irá ser servido na ocasião, assim como, no tipo de celebração que será realizada.

Passo #2

Apreciar o seu vinho em um copo comum? Jamais! Use a taça apropriada para essa finalidade. Caso não saiba qual a melhor opção, recorra ao modelo ISO, que é extremamente versátil e consegue se adaptar em várias situações.

Passo #3

No decorrer da experiência, preste atenção em diferentes fatores que envolvem a bebida. Observe, por exemplo, os seus aspectos visuais, que é o caso da viscosidade e transparência, assim como a tonalidade. Feito isto, sinta o aroma e, por fim, experimente o seu sabor.

livevinhos1 - #LiveSeculus: o que você precisa saber sobre vinhos

#LiveSeculus: uma conversa com Francisco Berger

Como você deve ter visto, degustar um bom vinho é um processo que exige o máximo de dedicação, assim como, bastante conhecimento técnico a respeito dessa bebida. 

Dito isto, nada melhor do que conversar com quem entende do assunto, não é mesmo? Foi assim que falamos com Francisco Berger, em uma #Live descontraída e repleta de informações.

Eu comecei a minha história com o vinho assim como muitos: experimentando a bebida com os amigos.

Com o passar do tempo, acabei entrando em um projeto, que consistia no desenvolvimento de um aplicativo voltado para esse segmento. No momento, eu percebi que precisava não somente entender mais sobre tecnologia, como também, a respeito da bebida.

Diante disso, passei a estudar tudo sobre o assunto, conhecendo as regiões e os tipos de produções. Ou seja, posso dizer que, hoje, não tomo mais o vinho “só por tomar”, mas apreciando.

Inclusive, acredito que esse é uma forma de conhecimento — e desenvolvimento — muito interessante, não somente para mim, mas para todos os indivíduos que se interessam por esse mundo e desejam se atualizar.

Confira na íntegra:

E então, gostou de conferir um pouco do que rolou na nossa última Live Seculus sobre vinhos, com a participação especial do enólogo Francisco Berger? Esperamos que sim!

Caso queira que os seus amigos também fiquem por dentro dessas dicas valiosas, não perca tempo: compartilhe agora mesmo o post em suas redes sociais. Temos certeza de que eles vão adorar experimentar se informar e experimentar novos rótulos com você!